27 de nov de 2010

quem aí sabe qual é a melhor maneira de acordar
 e ficar de bom humor?

acordar com quem a gente ama?
acordar com o cheirinho do café da mamãe?
acordar cedinho para pegar o avião para aquela tão sonhada trip?
acordar, perceber que é sábado e dormir de novo?


que nada!


bom mesmo é acordar e ver tudo branquinho porque nevou durante a madrugada!

imagem vista da porta da minha casa

ano passado a neve em Dublin veio bem tímida, 
mas parece que agora ela cansou de se esconder, 
veio para iluminar os meus dias!

26 de nov de 2010

num grupo de amigas eis que um dia surge o assunto "banheiro feminino de festa"
quem aí não é morto de curiosidade para saber o que acontece lá?
pois bem, hoje vou contar um segredinho: é muito difícil fazer xixi em pé, sendo que não temos o instrumento próprio para isso!
muito anti-higiênico sentar em vasos sanitários fora de casa, certo gurias?


pois bem, então foi por isso que nós, evoluindo década após década, fomos aprimorando as técnicas de fazer xixi em pé.
até aí, tudo bem. às vezes dá uma desequilibrada conforme o nível alcoólico, cai uns pingos onde não devia mas ok, segue o baile
até que percebemos que muitas vezes o papel higiênico não fica na nossa frente, ou ao nosso lado... ele fica atrás!
gente, por que isso? quem em sã consciência e sem amor à vida faz isso com a gente?
o homem que colocou isso lá pensou nele né, afinal ele faz xixi de pé e fica de frente para o papel, sendo que ele não usa o papel!
agora nós, seres de bexiga pequena, além de fazer malabarismos para ficar em pé e não se molhar, ainda temos que nos contorcer para pegar o papel!!!
e não me peça que às 2h da manhã eu lembre de pegar o papel antes de começar o ato aliviatório pois nunca vou lembrar!!!

então, fica o protesto: papel higiênico na frente já!

24 de nov de 2010

eu não sou mulher de meio termo, 
muito menos de meias palavras
comigo é sim ou não
doce ou salgado
branco ou preto



afinal, quem aqui gosta de talvez? de azedo ou amargo? ou pior, da cor 'burro quando foge'???

não me venha com as típicas respostas "não sei", "tô na dúvida" "o que tu acha?"
a vida não admite dúvidas!
apenas respire fundo, feche os olhos, sinta...
seja lá o que você sentiu, mas esse é o certo
pode não ser o certo para os outros, mas é para você
e a opinião alheia pouco importa
o que importa é você fazer o que se sente bem,
se sentir leve e com a missão cumprida
tente não magoar ninguém, mas às vezes é inevitável
tente não se explicar, isso às vezes só piora
tente não pensar muito, vá lá e faça

saia de cima do muro
não procure pelo meio termo, procure pelo concreto

23 de nov de 2010

depois da tempestade ficam-se as lágrimas
sobram apenas cacos e temos que reconstruir
(mesmo por motivos de força maior)
paz! vida nova!
não gosto do passado espalhado por todos os lados
sinto como uma história acabada
me persegue!!
parece que não quer ter fim
não tenho medo de nada, 
não questione meus medos, 
meus atos e desejos são meus... só meus.
estou aqui para viver, e isso é o que tento fazer
dia após dia
desejo apenas o presente
sou criança com novo brinquedo
e que somente agora consegui entender...
qual a moral da história??
é a essência do viver
vai saber!

17 de nov de 2010


ser forte... é difícil né quando todo mundo fica nos cobrando isso.
cobranças sempre chegam a nós de maneiras brutas, mas o que é ser forte mesmo?
é aguentar maus tratos de chefe, mau humor de cliente, chuva todos os dias, estar sempre correndo contra o relógio e sempre quebrando o cofrinho, sempre dando força aos próximos mesmo sabendo que é difícil, levar tombo e se levantar rapidinho, conseguir rir das próprias tristezas, segurar firme a saudade e não se abalar com os objetivos ainda não alcançados?
se isso é ser forte, então muitos de nós somos, afinal, quem não passa por isso? e tem aqueles que passam por coisas piores e continuam lá, de pé!
o "ser forte" depende do ponto de vista de cada um. acho que esses problemas diários são coisas tão comuns que podemos tirar de letra, desde que queiramos isso.
pra mim, ser forte é nao deixar que as pessoas de fora interfiram nas nossas vidas, é não se abalar com as maldades alheias, não se magoar com uma mentira que nos afeta, não odiarmos quem nos fez algum mau, é não guardar aquele sentimento de dor por alguém que só brincou com a gente, ou daquele chefe que simplesmente nos mandou embora do trabalho sem motivo. se forte é não guardar no peito as palavras brutas que ouvimos em alguma briga, é olhar para trás e vermos que superamos obstáculos, que estamos vivos para o que der e vier. ser forte é muito mais do que mostrar aos outros o que podemos, é mostrarmos para nós mesmos que podemos e fazemos por onde. é estarmos em paz dia após dia, é pular as barreiras e sorrir mesmo querendo chorar, é perdoar!
e mesmo assim, tem dias que até o mais forte do mundo desmorona... e aí quando isso acontece vem as cobranças: "achei que tu fosse forte"...
poxa, as pessoas nunca estão satisfeitas com quem você é.
lágrimas nem sempre são sinônimo de fraqueza! às vezes é sinal de desabafo, um desabafo silencioso que a maioria das pessoas não compreende e vem perguntar: "o que aconteceu?" e ai esse 'fraco' diz que não foi nada, que só está respirando fundo...
quem perguntou entendeu alguma coisa? provavelmente não, pois esse é o real fraco, o que nada vê, nada sente e nada compreende.

13 de nov de 2010

eu achei que nunca ia dizer isso, mas eu estou detestando ter descontos nas lojas!
desconto para estudantes, desconto para quem trabalha no shopping, desconto para quem trabalha na loja x, desconto para aposentados, descontos para quem tem cachorro amarelo...
isso não faz a gente economizar e sim gastar mais!
em um único dia pode-se ter desconto na loja de sapatos -25%, na loja de roupas -20%, na loja de bolsas -10% e para saideira, desconto na pizza hut -50% (sim metade do preço!).
e vem me dizer que estou economizando?
era para comprar apenas uma coisa, aí sobrou de um lado, coloca mais umas moedas em cima e gasta-se por outro.
propaganda enganosa essa de descontos heim!

9 de nov de 2010

meus olhos tiram fotos


fotos de imagens
que as câmeras nao conseguem captar.
esse é meu lugar preferido em Dublin,
onde antes tinha flores, agora folhas...
sigo esperando a neve.

7 de nov de 2010

ainda bem que acabou o halloween e junto com ele, todas aquelas decorações de péssimo gosto,
 aquelas cheias de aranhas pernudas e peludas que eu via por todos os lados!
um fantasminha, uma abóbora com cara de mal, um vampirinho e até as bruxinhas são bem fofas, 
mas qual a conexão com aranhas? isso deveria ser proibido!
teve um dia que não consegui trabalhar direito, todos os cantos tinha alguma bendita a me assustar.


ainda bem que agora as decorações foram trocadas por ursos polares, renas, 
pinheirinhos, flocos de neve e papais-noéis.
que venha o natal!

6 de nov de 2010

tenho que confessar que cozinhar é arte para poucos.
coisa mais complicada ficar misturando ingredientes e fazer aquilo tudo se transformar em algo que as pessoas gostem, e mais difícil ainda, fazer elas repetirem!
eu, por muito tempo relutei em cozinhar, sempre com a mesma desculpa "eu não sei cozinhar".


agora chega, sei cozinhar sim! e muito bem!
tenho me dedicado praticamente todos os dias, preparando delicias para mim mesmo, afinal, o povo aqui de casa não come as mesmas coisas que eu, ou vice-versa.
confesso que aprendi a gostar disso, de ficar ali colocando 'amor' e misturando tudo com uma paciência que só agora eu descobri ter.
claro, não faço pratos mega elaborados, mas sim o que me agrada o paladar. comida simples, caseira e com um toque cristiane que só eu sei dar.
e quem quiser conferir, é só chegar o flat 9 (com aviso prévio obviamente) pra provar uma de minhas especialidades.

1 de nov de 2010

1 ano de irlanda, a ilha verde, casa do leprechaun...


o que poderia eu falar desse um ano???


- que a primeira pint me custou chorosos 5,70 euros;
- que cheguei completamente perdida, com um inglês bem tosco (que eu acreditava saber). 
- que perdi entrevistas de emprego por não entender o endereço ao telefone, ou por ir no local errado, ou pior, conseguir chegar no lugar e não entender as perguntas;
- que se perder nem sempre é ruim, sempre descobri um lugar bacana para passear;
- que ficar comendo bagete do londis sentada num banco qualquer olhando o movimento é gostoso, e que comer um bolinho inglês molhado escorada em um ponto de ônibus é pra brasileiro;
- que consegui o primeiro emprego e fui comemorar com vinho, coisa que não deu muito certo;
- que meu primeiro salário foi 55 euros em uma semana que eu tinha apenas 1,98 na conta bancária;
- que oktoberfest é para os fortes;
- que a aula era muito legal mas só no início;
- que aniversário não é ficar velho, mas tornar-se descobridor de aventuras;
- que halloween é coisa de irlandês;
- que no natal trabalhei feito um burro de carga e as coisas melhoraram;
- que natal e reveillon (pra contrariar as pragas do diego dama) foram maravilhosos!
- que em fevereiro/março/abril tudo estava um caos na minha vida, me sentindo sozinha, com pouca grana, trabalhando pouco e com problemas no apartamento;
- que o arco-íris de dublin é o mais lindo de todos;
- que muitas pessoas vieram e muitas foram embora. muitas ainda permanecem nas lembranças;
- que as amizades se renovam;
- que as festas são fortes, mas curtas;
- que pagar 2 euros na pint não é sonho;
- que receber amigos queridos na "minha cidade" é sensacional;
- que neve, mesmo em pequena quantidade, é incrível (e gelada), e mesmo assim dá pra fazer boas bolinhas e jogar nos amigos;
- que irlanda não é só dublin, e que tudo é como nos filmes;
- que chorar quando os amigos vão embora é bom, sinal de que os amo, e vice-versa;
- que as house parties são de dar medo;
- que tomar chima sozinha não tem graça (mas mesmo assim insisto);
- que viajar é algo que apazigua a alma;
- que as festas brasileiras não tem a mesma graça no brasil;
- que tomar uma ceva no canal, as 22h e ainda ter sol alto é inacreditavelmente mágico;
- que amar é inevitável;
- que "aprendi" a detestar certas raças e que entendo porque outras são tão legais;
- que aprendi a cozinhar, que aprendi a beber (ou não) e que melhor ainda, o inglês melhorou!
- que tive algumas tentativas frustradas e que consegui coisas que nem imaginava poder um dia;
- que dublin é meu lar, não há como negar!






aqui vivenciei (e vivenciarei muito mais) coisas inesquecíveis.


ps: completei 1 ano um mês atrás!
.
.
.
gosto muito dos fofoqueiros comentadores!
eles fazem com que a vida dos comentados
 seja bem mais interessante 
do que realmente é.
.
.
.
se eu tivesse um canudinho, eu chupava você, pra dentro do meu mundinho, pra comigo viver... pra comigo viver...



opa! meu mundinho nada! meu mundo é meu, só meu, todo meu!
é... assim mesmo, do tipinho bem egoísta! (a menos que você queira muito muito fazer parte dele)
a gente sempre insiste em querer trazer as pessoas para o nosso mundo, mostrar coisas diferentes e na maioria das vezes isso é em vão. de tudo que já vivi, de tudo que dividi e de tudo que eu tentei ensinar, percebo que poucas coisas foram absorvidas pelos demais.
algumas pessoas parecem não ter sentimentos, parecem não se emocionar com as coisas bacanas à volta, com os fatos inusitados e com as atrapalhadas do dia-a-dia. é como se tudo fosse a mesma coisa, choro/riso/dor/alegria. que coisa mais sem graça!!!
ultimamente tenho ficado mais calada e escutado mais. e vou te dizer, é assustador!
como me disse semana passada minha irish mother "algumas pessoas guardam suas coisas em gavetas, simplesmente abrem uma, jogam você lá dentro e agem como se nada tivesse acontecido, como se aquele dia tão especial fosse mais um dia banal, como se tua alegria não significasse nada e como se aquele amor tão grande amor nunca tivesse existido."
quando ela me disse isso, pensei que "ah, não significa que por que uma pessoa me jogou na gaveta todas sejam assim", ai ai ai cristiane veiga, grande ilusão a sua!
continuando no lance de ouvir, descobri que as pessoas são assim mesmo, com gavetas. por isso não sofrem, sabem administrar muito bem as coisas, jogam tudo lá dentro e já era.
e eu... eu realmente não sou desse mundo pois, mesmo eu tentando jogar tudo nas gavetas, sempre dou uma espiadinha pra ver se tá tudo bem.

pois bem, as gavetas do meu mundo estarão sempre abertas, mas não convidarei ninguém.